quarta-feira, 31 de outubro de 2012

bailarinas!

Minha irmã me pediu uma bailarina.
Não conhecia nenhum molde para isso.
Procurei no google, claro, e encontrei algumas bem bonitas até. http://flickeflu.com/photos/gata_arteira_byhermelacris/interesting
Mas não entendi como fazê-las.
Também não quis adaptar um modelo Tilda com roupa de bailarina. Apesar de ver coisas bonitas, eu não quis repetir porque a pose é a mesma de sempre.
Sei que já existe o modelo Tilda para bailarina, mas além de não ter acesso, não gostei. Parece repetição dos outros modelos.
Corri para o Espaço Turquesa, http://pt-br.facebook.com/EspacoTurquesa?filter=1.
Lá, a professora Rosy Mason, http://rosymason.blogspot.com.br/, inventou um molde para bailarina!!
Ela se baseou num modelo Tilda, mas ficou diferente e muito bonito.
Vou tentar, junto com ela, desenvolver um passo a passo para essa bailarina. Outro dia...
Agora coloco as fotos das duas que eu fiz.
Duas porque não consegui decidir a cor da roupa. 
  
bailarina Tilda-Rosy
A roupa vermelha é toda feita de algodão e o acabamento é com ponto caseado (na máquina, claro), por isso fica mais estruturado, mais durinho. A azul tem a saia de cetim, com uma bainha de acabamento, fica com outro formato.
 

As sapatilhas...
 

 
Os detalhes
 


 


 
Perfeição não é o caso, nem nunca foi. Mas eu gostei bastante do resultado.
Ainda não consigo trabalhar com o plumante a ponto de não deixar bolotas nem rugas.
O pescoço é um desafio. Mesmo deixando certinho, acabei mexendo com a cabeça da azul quando fui colocar o cabelo e a linha. Já marcou o pescoço sem chance de consertar.

Depois, fiz uma com roupa amarela para a netinha da nossa faxineira (maravilhosa Cacilda), com asa de anjo para pôr e tirar, brincar! A minha preferida.
 
 
 


Música linda para todas as bailarinas: 


Pisar no chão com a ponta do pé

Tocar o céu com a palma da mão

Manter ereta a postura

Amolecer a cintura
Balé precisa de dedicação
.
.
.
Tocar o céu com a ponta do pé
Pisar no chão com a palma da mão
Com longos alongamentos
O corpo é um instrumento
Balé precisa de dedicação

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Gatas de coleira

Resolvemos colocar coleira em nossas gatinhas....
Sempre resisti a isso, prefiro liberdade completa.
Mas, gatinha preta que passeia à vontade pelo bairro... melhor ter coleira.
Ainda estamos observando, esperando que Lola se adapte.
Rosa já se acostumou.




 





Irresistíveis!...

domingo, 14 de outubro de 2012

capa e manequim Tilda

Reservei esse feriado para costurar.
Além de pequenos consertos, fiz a capa para panela de arroz da minha irmã (depois mostro quando estiver sendo usada), embalagem do presente de casamento do meu irmão e manequins Tilda (porta jóias... ou terços!) para presentear uma debutante e minha sogra.


A parte de baixo tem manta, como a capa para panela, para ficar bem firme e aguentar o peso.


 



 

 
Em cima, vai um alfinete para prender os enfeites, usei cola-lantejoula para fixar.
As asas são de soft com enchimento de plumante (o mesmo das bonecas). Tem que prendê-las muito bem, pois são elas que vão segurar os colares. Para isso, foi bom usar tecido branco na asa e enfeite branco no busto, as linhas ficaram bem escondidas.
Peguei o molde na internet, http://lilipatch.blogspot.com.br/2011/07/mundo-tilda.html, é só prestar atenção para não imprimir maior do que deve.
Uma das bases comprei em loja de artesanato especializada em fazer Tildas (Espaço Turquesa, Campinas), bem delicada. A outra, Otávio comprou em loja que vende (quase) tudo para artesanato (CrisArt,Campinas), tivemos que improvisar. Era um suporte de papel higiênico que cortamos e fixamos melhor. Ficou legal.
As duas tiveram que ser pintadas: lixa, tinta PVA, lixa, tinta, lixa, tinta. Três camadas são suficientes.
Depois, é só caprichar nos enfeites para cada ocasião!


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Labe-labe


Outro adubo verde excelente que temos usado, é o feijão labe-labe. Uma planta trepadeira, cresce tanto que toda semana podemos forrar o solo com suas folhas. Além disso, nos fornece vagem e já chegamos a secar as sementes e cozinhar os feijões. Muito bom!


O labe-labe também atrais vários insetos, a mamangava também é sua polinizadora, mas ele é mais resistente a pragas que a crotalária.
Pelo que eu entendi e observei, quando o usamos como adubo verde, é interessante colocar junto, no solo, restos de outras plantas, pois a proporção de carbono e nitrogênio não é a ideal, como no caso da crotalária.
Vagens e sementes
Da esquerda para a direita: secas, médias e verdes


Crotalária

Depois de tanto tempo mostrando fotos do jardim, hoje escrevo sobre a crotalária.
Uma planta da família das leguminosas, um excelente adubo verde.
Para informações técnicas: http://www.lcb.esalq.usp.br/extension/DESAAFCA/crotalarias.pdf
Nós recebemos sementes no curso do Pupin, no sesc, em janeiro de 2012. http://www.familiaorganica.blogspot.com.br/
Plantamos no dia 1º de fevereiro de 2012.
Elas brotam logo e crescem rápido. Fixam nitrogênio no solo e combatem nematóides (bichos que vivem no solo e prejudicam as plantas).
Precisam de sol!
As fotos seguem uma periodicidade de 15 dias aproximadamente.
As primeiras mudinhas crescendo
 

1 mês e meio depois
Elas ficam bem altas. Em casa, acabaram curvando. Mas, há fotos na internet de grandes plantações em que uma apoia a outra e ficam na vertical, formando um campo todo amarelo, muito bonito.
3 meses depois
 

Como toda planta, se podamos as pontas, crescem muito mais brotos dos lados.
Elas são verdinhas, mas acabaram ficando cinzas, prateadas aqui em casa. Imagino que sejam fungos e outras coisas mais.

Elas atraem para si a maior parte das doenças que estariam presentes no jardim.
Também tivemos um aumento considerável de percevejos (marias-fedidas). http://arranhoes.blogspot.com.br/2012/06/diversidade.html
As flores são lindas e tem um leve aroma adocicado. Começaram pouco mais de 3 meses depois de plantadas e continuaram por alguns meses.
Mamangavas e abelhas fazem a polinização.
 Em seguida, vieram as vagens. 
Inicialmente verdes, elas ficam marrons quando "maduras".
As sementes se assemelham a pequenos feijões. Para tirará-las da vagem, é melhor esperar secarem lá dentro.

Quando plantamos alguma coisa com a intenção de serem adubos verdes, precisamos de plantas fortes, por isso, é obrigatório cortar as plantas assim que nascem as flores, pois todo o vigor da planta vai para a produção de flores e, em seguida, de sementes.
Portanto, poderíamos ir cortando os galhos das crotalárias e jogando como forração no solo ou incorporando a ele (enterrando).
Nós deixamos que as crotalárias completassem todo o ciclo justamente porque queríamos sementes para propagar essa cultura entre amigos e parentes.
Porém, nossa produção de sementes não foi muito frutífera, provavelmente, por causa de tantas pragas que ela atraiu.
Sendo assim, procuraremos mais sementes no IAC ou CATI.
Apesar de ter completado o ciclo reprodutivo, a crotalária serviu como adubo verde. As plantas que se seguiram a elas no jardim cresceram fortes.

Como exemplo, nossos tomatinhos.... estão suprindo totalmente nossa necessidade de tomates na culinária há 2 meses!